top of page
letraC cópia.png
CSITE.jpg
Âncora datas
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco
R-1986314-1256849182.jpeg.jpg
Alma-Edicao-Especial-CD-DVD.jpg
Carminho.jpg
CAPA-DIGITAL_CARMINHO-CANTA-TOM-JOBIM.jp
CARMINHO_cover_Maria.jpg
CSITE.jpg
CARMINHO_DESDOBRAMENTO_4_5_12.jpg

“Portuguesa” foram dez dias no estúdio Namouche em Lisboa, no mês de março de 2022 e os dois anos que os antecederam. Continuo à procura da vertigem onde posso encontrar, com novas combinações da mesma matriz, a minha identidade. É a história que tenho vindo a escrever, as minhas origens, influências e a música em que me revejo.”

Carminho escreve estas primeiras linhas para sintetizar o seu novo trabalho intitulado “Portuguesa”. A grande voz do fado e uma das artistas portuguesas com maior projeção internacional assina a produção do novo álbum e com ele traça uma digressão mundial.

 

Filha da conceituada fadista Teresa Siqueira, Carminho nasce no meio das guitarras e das vozes do fado, tendo marcado a sua estreia a cantar em público aos doze anos, no Coliseu dos Recreios (Lisboa). Desde cedo foi tentada a gravar álbuns mas decide esperar. 

 

Licencia-se em Marketing e Publicidade e percebe que cantar exigia uma maturidade e um mundo que ainda não tinha. Durante um ano viaja pelo mundo, participa em missões humanitárias e regressa a Lisboa decidida a entregar-se por inteiro a um percurso artístico. 

 

“Fado”, o seu primeiro disco, é editado em 2009. Alcança a platina (resultado invejável para uma estreia), recebe distinção de melhor álbum de 2011 para a revista britânica "Songlines", apresenta-se na Womex 2011(Copenhaga) e na sede parisiense da UNESCO no âmbito da candidatura do Fado a património mundial. A tudo soma uma digressão em que espalha a sua voz e talento por vários territórios. No mesmo ano, colabora com Pablo Alborán em “Perdoname” e torna-se na primeira artista portuguesa a atingir o número 1 do top espanhol. 

 

Em 2012, edita o seu segundo álbum, intitulado “ALMA”. Depois de passar pelas principais salas da Europa e do Mundo, realiza o sonho de gravar com Milton Nascimento, Chico Buarque e Nana Caymmi, que resulta numa reedição de “Alma” com três novos temas. Carminho começa assim a conquistar o Brasil com concertos esgotados. A afirmação como a mais internacional das artistas portugueses é consumada e distinguida em Portugal com um Globo de Ouro e o Prémio Carlos Paredes, vendo ambos os seus álbuns atingirem a marca da dupla platina. 

 

“Canto” é editado no final de 2014 e a sua relação com o Brasil ganha raízes ainda mais profundas, com a primeira parceria de Caetano Veloso com o seu filho mais novo Tom, que lhe oferecem o inédito “O Sol, Eu e Tu”. “Canto” inclui também o single “Chuva no Mar”, que conta com a participação de Marisa Monte e que assina co-autoria do tema com Arnaldo Antunes.

 

Essa relação fortíssima com o Brasil atinge um dos momentos mais consistentes já em 2016, na sequência de um convite endereçado pela família de António Carlos Jobim e grava “Carminho canta Tom Jobim”, com a última banda que o acompanhou ao vivo nos seus últimos dez anos, partilhando temas com Chico Buarque, Maria Bethânia e Marisa Monte. Prémios e platinas sucedem-se ao lançamento do álbum.

 

“Maria” constitui o título que Carminho escolheu para o quinto da sua carreira, um álbum que assina a produção e inclui várias canções de sua autoria. Um disco emocionante que assimila tudo aquilo que Carminho aprendeu directamente das suas raízes do fado, respeitando a verdade das palavras e da linguagem tradicional, mas ao mesmo tempo com um olhar livre e contemporâneo sobre o mundo que a inspira, reinterpretando muito do que aprendeu com o fado desde pequena. 

 

2023 é ano de “Portuguesa”, um manifesto cultural assinado por Carminho que eleva os padrões do Fado e que a coloca como uma artista incomparável com a sua voz, talento, composição e perseverança artística.

bottom of page