AGENDA

16.02 GUARDA, PT

ESGOTADO

17.02 GUARDA, PT

ESGOTADO

18.02 LISBOA, PT

ESGOTADO

02.03 ENTRONCAMENTO, PT

ESGOTADO

16.03 SPLIT, HR

ESGOTADO

10.04 BILBAO, ES

Bilhetes

04.05 GUIMARÃES, PT

Bilhetes

18.05 SAINTE-MAXIME, FR

Bilhetes

Filha da conceituada fadista Teresa Siqueira, Carminho nasce no meio das guitarras e das vozes do fado, tendo marcado a sua estreia a cantar em público aos doze anos, no Coliseu dos Recreios (Lisboa). Desde cedo foi tentada a gravar álbuns mas decide esperar. 

Licencia-se em Marketing e Publicidade e percebe que cantar exigia uma maturidade e um mundo que ainda não tinha. Durante um ano viaja pelo mundo, participa em missões humanitárias e regressa a Lisboa decidida a entregar-se por inteiro a um percurso artístico. 

“Fado”, o seu primeiro disco, é editado em 2009. Alcança a platina (resultado invejável para uma estreia), recebe distinção de melhor álbum de 2011 para a revista britânica "Songlines", apresenta-se na Womex 2011 (Copenhaga) e na sede parisiense da UNESCO no âmbito da candidatura do Fado a património mundial. A tudo soma uma digressão em que espalha a sua voz e talento por vários territórios. No mesmo ano, colabora com Pablo Alborán em “Perdoname” e torna-se na primeira artista portuguesa a atingir o número 1 do top espanhol. 

Em 2012, edita o seu segundo álbum, intitulado “Alma”. Depois de passar pelas principais salas da Europa e do Mundo, realiza o sonho de gravar com Milton Nascimento, Chico Buarque e Nana Caymmi, que resulta numa reedição de “Alma” com três novos temas. Carminho começa assim a conquistar o Brasil com concertos esgotados. A afirmação como a mais internacional das artistas portugueses é consumada e distinguida em Portugal com um Globo de Ouro e o Prémio Carlos Paredes, vendo ambos os seus álbuns atingirem a marca da dupla platina. 

“Canto” é editado no final de 2014 e a sua relação com o Brasil ganha raízes ainda mais profundas, com a primeira parceria de Caetano Veloso com o seu filho mais novo Tom, que lhe oferecem o inédito “O Sol, Eu e Tu”. “Canto” inclui também o single “Chuva no Mar”, que conta com a participação de Marisa Monte e que assina co-autoria do tema com Arnaldo Antunes.

Essa relação fortíssima com o Brasil atinge um dos momentos mais consistentes já em 2016, na sequência de um convite endereçado pela família de António Carlos Jobim e grava “Carminho canta Tom Jobim”, com a última banda que o acompanhou ao vivo nos seus últimos dez anos, partilhando temas com Chico Buarque, Maria Bethânia e Marisa Monte. Prémios e platinas sucedem-se ao lançamento do álbum.

“Maria” constitui o título que Carminho escolheu para o quinto da sua carreira, um álbum que assina a produção e inclui várias canções de sua autoria. Um disco emocionante que assimila tudo aquilo que Carminho aprendeu directamente das suas raízes do fado, respeitando a verdade das palavras e da linguagem tradicional, mas ao mesmo tempo com um olhar livre e contemporâneo sobre o mundo que a inspira, reinterpretando muito do que aprendeu com o fado desde pequena.

2023 é ano de "Portuguesa", o mais recente álbum assinado por Carminho, onde continua a prática do fado movendo-se como peixe numa água que é a sua.

Este ano testemunhou marcos significativos na história de Carminho. Carminho teve a honra de interpretar “Estrela”, uma composição original, para o Papa durante a Jornada Mundial da Juventude em Lisboa, para uma plateia de 1,5 milhões de pessoas e 600 milhões de telespectadores em todo o mundo.

Apenas um mês depois, o filme "Poor Things", realizado por Yorgos Lanthimos, contou com uma participação especial de Carminho, ao cantar e tocar a guitarra portuguesa numa emocionante versão da música "O quarto" ao vivo no set, durante uma cena intensa de troca de olhares com Emma Stone. Este filme ganhou o Leão de Ouro no Festival de Cinema de Veneza.

Carminho foi convidada pelos Coldplay para cantar o fado "Coimbra" com Chris Martin e Bárbara Bandeira no Estádio de Coimbra.

Entre todas estas conquistas, Carminho foi convidada por Caetano Veloso para participar na sua tour "Meu Coco", onde cantaram em dueto "Você-Você", uma música escrita por Caetano, inspirada e feita para Carminho, que surgiu de uma discussão entre os dois sobre a língua portuguesa.

Com uma extensa tour pela Europa, Brasil, EUA e Canadá, para apresentar seu álbum "Portuguesa", o trabalho de Carminho foi reconhecido com uma indicação ao Grammy Latino na categoria Melhor Álbum de Raízes em Língua Portuguesa.


Estas conquistas solidificam o seu status como uma artista incomparável, conhecida pela sua notável voz, talento, composição e dedicação artística inabalável.